CRO-SE incentiva continuidade de ações de prevenção a traumas bucomaxilofaciais no trânsito, após Maio Amarelo

Com o fim do mês, encerram-se as ações do “Maio Amarelo”, que anualmente chama a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Dada a importância do tema, o CRO-SE dá sequência a este alerta de forma contínua, considerando a necessidade de incentivar ações de prevenção permanente de acidentes com traumas bucomaxilofaciais; e busca firmar parcerias com os municípios para ampliar a efetividade das ações.
Em Nossa Senhora do Socorro, por exemplo, em parceria com a prefeitura municipal, o CRO-SE e a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) somaram esforços para desenvolver várias atividades no município, buscando justamente prevenir acidentes e evitar traumas ligados à face e boca no trânsito, algo bastante comum na realidade local. Isso será feito através de uma campanha, proposta pelo prefeito Padre Inaldo, pelo secretário municipal de Saúde, Enock Ribeiro; pela conselheira Heloisa Nunes, coordenadora municipal de Saúde Bucal e membro da comissão de Políticas Públicas e Inclusão do CRO-SE; e pelo superintendente da SMTT, Toledo Neto.
As lesões decorrentes de trauma por acidentes de trânsito constituem um importante problema, alertando os serviços de saúde pública para a necessidade de adoção de medidas de monitoração dos fatores de risco relevantes, para implementar medidas de reversão por meio das atividades preventivas. De acordo com a conselheira Heloisa Nunes, as lesões mais comuns entre acidentados, principalmente dos que se envolvem em acidente com moto, são nos membros inferiores e cabeça. “E entre as principais lesões que demandam tratamento odontológico, estão lacerações, fraturas de dentes e ossos da face, avulsões, extrusões e intrusões dentárias, luxações temporomandibulares, escoriações e ferimentos corto-contusos”, detalha a cirurgiã-dentista.
Entre as inúmeras variáveis epidemiológicas apontadas em estudos como fatores de riscos para a ocorrência de acidentes de trânsito, estão o uso do álcool e outras drogas, a ausência de cinto de segurança e de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) – no caso de motociclistas, o capacete. Devido à prevalência desses tipos de traumas ser elevada entre o sexo masculino, o público-alvo da campanha, em Socorro, será constituído sobretudo pelos motoqueiros que circulam diariamente nas ruas e avenidas do município, as principais vítimas desse tipo de traumatismo na boca e na face, considerando a falta de proteção externa, por estarem sobre veículos de duas rodas, expostos a quedas violentas em caso de colisão.
As ações começarão a ser realizadas no mês junino e terminarão no último dia do forró Siri, 29 de junho. Neste período, serão realizadas blitz educativas, palestras e distribuição de panfletos informativos que visam diminuir os índices de acidentes envolvendo o trauma bucomaxilofacial. Segundo o presidente do CRO-SE, Anderson Lessa Siqueira, a parceria com Socorro serve de exemplo para os demais municípios. “Queremos que o máximo de pessoas tenham acesso a informações sobre as consequências que os traumas bucomaxilofaciais podem ter, para que sejam realmente conscientizadas sobre a importância da prevenção de acidentes de trânsito”, afirmou.

 

Usamos cookies que armazenam informações suas com o objetivo de melhorar sua experiência com nossos serviços, de acordo com nossos Termos de Uso.