A dor é o grito de uma alma em desassossego!!!

O que espera a dor? Do que reclama? A dor do sofrimento psíquico diz respeito a um certo nível de envenenamento da alma. Algo que dilacera o ser e se evidência mais visivelmente na concretude física. Nesse percurso, da alma ao corpo, a dor vai golpeando, produzindo perfurações cortantes e profundas, causando, como nos quadros hemorrágicos, um fluxo incontido de lágrimas e suspiros que parecem jamais estancar. Já no corpo, traz a o abatimento, a insônia e os comportamentos mais antagônicos imagináveis: abstinência e compulsoes, silêncio e verborragias, dentre outros. A cadeia traumática originária fica escamoteada no discurso da dor, esconde-se nos interstícios sintáticos e nas inconsistências semânticas, ocultando possíveis pistas sobre sua constituição. Mas ainda resta uma chance!! Dar voz ao doído, o dito "do ente", deixá-lo construir metáforas e metonímias num trabalho meticuloso e seletivo. Haverá ai oportunidade bem vinda ao descuido, brechas entre o ego e o superego, por onde gritarão os "enteados" da dor egressos do inconsciente. Por isso ela (dor) espera e é isso que reclama! Por uma rebelião de enteados significantes, já não mais possíveis de se manterem quietos nos porões da ânima. 

Usamos cookies que armazenam informações suas com o objetivo de melhorar sua experiência com nossos serviços, de acordo com nossos Termos de Uso.