Eu era magrinha...

Muitas pacientes com problemas de obesidade falam a mesma coisa: “Eu era magrinha, fazia atividade física, me cuidava... Mas depois que eu casei, tive filhos e mais trabalho, acabei engordando e não consegui mais emagrecer”.

A pergunta é: “Será que elas se cuidavam primeiro para então estar prontas para cuidar do outro?” Mulheres casadas, com filhos, direcionam sua vida para a família esquecendo-se de si. Priorizam a demanda dos outros e não olham para sua própria demanda. Fazem muito pelo outro: “Tenho que dar conta de tudo sozinha”, (escuta-se muito no consultório). Estas mulheres não sabem dizer não. Não sabem delegar suas tarefas, são muito perfeccionistas, pensam que ninguém fará tão bem quanto elas, e não sabem impor limites. Tratam as angústia dos outros primeiro, deixando as  suas de lado. Desse modo, suas angústias e a ansiedade podem levá-las para a comida e muitas vezes até para o comer compulsivo sem que elas se deem por conta, e acabam não se reconhecendo no próprio corpo. Se você está se familiarizando aqui, saiba que o que está faltando nesse momento não é mais uma dieta, e sim, se priorizar, se amar mais, colocar-se em primeiro lugar, como forma de respeito, bondade e compaixão consigo mesma. Nesta hora é hora de olhar para si e se encontrar. Porém, a gente só se encontra quando aprende a se amar, a se colocar em primeiro lugar como forma de amor, sentindo carinho e orgulho de si mesma. Portanto, faça de você uma pessoa interessante. Priorize-se, cuidando mais de si e valorizando seus sentimentos. A vida espera muito de você, é só uma questão de gentileza e leveza consigo mesmo. Pratique a autobondade, permitindo-se que sejas tão amorosa consigo mesma, assim com és com os outros.

Usamos cookies que armazenam informações suas com o objetivo de melhorar sua experiência com nossos serviços, de acordo com nossos Termos de Uso.