Manipulação e abuso psicológico continuação (parte ll)

No post anterior falamos de gaslighting que é conhecido como abuso psicológico.  Hoje vou apresentar os 4 sinais de manipulação psicológica. 

1° DISTORCE FATOS E INFORMAÇÕES

O objetivo do abusador é fazer a mulher duvidar de si mesma. Então, em uma conversa, ele distorce os fatos e as informações de maneira que a vítima já não sabe mais se tem certeza das coisas ou não.

2° INVENTA HISTÓRIAS E FRASES 

Existe uma máxima que diz que a repetição de frases e situações acaba se tornando uma verdade.  De tanto dizer que a companheira é louca e que está imaginando coisas, o abusador convence a vítima de que isso é mesmo verdade. E a vítima passa, inclusive, a se culpar por tudo que ocorre na relação.

O abusador faz tudo para colocar a vítima contra a família e contra os amigos. Fazendo isso, ele consegue isolar a vítima e assume o comando da situação.

3° CANSAÇO MENTAL NA VÍTIMA

"Como esse cara me convenceu de que eu era tonta?". Este é o questionamento que as vítimas de gaslighting fazem depois de recuperadas. Mas até que isso aconteça, o caminho é estressante, e aliás, muito confuso.

A vítima vive com a constante ideia de dúvida sobre o que ocorreu mesmo, pois ela perde a autonomia e as forças de reação.

Outra consequência grave do gaslighting é o fato de a vítima achar que não será capaz de encontrar um novo companheiro. Isso ocorre, pois acha que o relacionamento atual é  um fracasso por culpa dela. Por isso, a ajuda psicológica é vital nesses casos.

4° INVERSÃO DA BRIGA

O abusador articula de tal modo as conversas, que a culpa de tudo cai sobre a mulher. Ela fica insegura e confusa e passa a acreditar que o parceiro tem razão.

Outra característica do abusador que usa gaslighting é uma reação chamada de "morde e assopra". Isso ocorre quando a pessoa abusada reclama e reage e então o abusador se comporta de um jeito pacífico, como se fosse o bonzinho, inclusive, agradando à vítima.

OUTRAS FORMAS DE ABUSO

O gaslighting não ocorre apenas em relações amorosas. Ele pode ocorrer entre pais e filhos, entre colegas de trabalho e nas relações familiares em geral.

O fato é que qualquer relação precisa ser pautada por respeito, espaço para diálogo e entendimento das funções de cada parte. 

No ambiente de trabalho, há casos em que o funcionário sofre tanto gaslighting que acredita ser incompetente e, às vezes, até debochado pelos colegas. Se isso ocorrer com frequência, pode ser definido como bullying.

Em relações familiares, as pessoas não devem ter medo de interagir. 

A verdade é que qualquer tipo de abuso deixa marcas muito tristes e até irreversíveis. Por isso, qualquer tipo de abuso deve ser denunciado.

A pior violência é a psicológica, pois, na maioria das vezes ela é silenciosa. As pessoas abusadas podem levar anos para contar o que de fato está ocorrendo e algumas suportam uma vida inteira de submissão e dor.

No próximo post vou falar dos transtornos emocionais que podem se desenvolver por conta do gaslighting.

Usamos cookies que armazenam informações suas com o objetivo de melhorar sua experiência com nossos serviços, de acordo com nossos Termos de Uso.