Lindinalva A. Nascimento,  São José dos Quatro Marcos

Ansiedade normal ou patológica!

Quais são os limites entre a ansiedade normal e a ansiedade patológica?

A ansiedade normal ocorre quando está explicitamente presente um motivo e guarda proporção com ele tanto em intensidade quanto em duração. Geralmente passa-se mais na esfera psíquica que na corporal. A ansiedade anormal é um sentimento tão peculiar e desagradável que só mesmo quem o sente pode saber o quão ruim ele é. Ao que a sofre, a ansiedade patológica parece imotivada: ocorre sem nenhum estímulo aparente ou não guarda proporção com ele. É mais fácil descrever os sinais e sintomas pelos quais ela se manifesta que a ansiedade normal. Expressa-se mais comumente por sintomas físicos que acompanham o sentimento psíquico. O mais típico deles é a sensação de aperto no peito que os pacientes costumam descrever como uma garra comprimindo-lhes o tórax. Outros são: suor, tremor, fala com gagueira, "respiração curta", fala entrecortada ou ausente, tensão muscular excessiva, vermelhidão na face, medos exagerados, perfeccionismo, alteração do sono, medos irracionais, autoconsciência, lembranças ruins, insônia, roer unhas e dores inespecíficas. Três medos são praticamente constantes na ansiedade patológica, nenhum dos quais em geral se concretiza:

Medo de estar ficando louco.

Medo das ideias de suicídio.

Medo de doenças.

Além disso, a ansiedade normal não chega a comprometer as atividades e funções fisiológicas do indivíduo, o que faz a ansiedade patológica. Muitas pessoas confundem os sintomas da ansiedade e da depressão, embora uma coisa seja totalmente distinta da outra, tanto nas suas causas como nas suas manifestações clínicas e no seu tratamento. Fonte AbcMed