Saúde : o lugar das emocões no adoecimento físico e psíquico

Nós cuidamos de nossa saúde física, vamos ao médico quando sentimos dores, desconfortos  para tomarmos remédios e prevenir doenças maiores. No entanto, quando se trata de nossas emoções nem mesmo nos preocupamos em como elas interferem no nosso bem estar e nas nossas diferentes formas de adoecer.  Sentimos, medo, alegria, tristeza, esperança, ódio, amor em intensidades diferentes, mas vamos vivendo sem buscar entendê-las ou até mesmo parar para pensarmos como nos sentimos e expressamos essas emoções, o que está nos machucando, o que nos faz bem. É como se a nossa saúde física fosse totalmente independente de nossa saúde emocional. Cuidamos do corpo, mas como usa o tempo para cuidar de você, da sua qualidade de vida, entender seus sentimentos e relacionamentos? O que sabe de você, das suas necessidades emocionais, do seu sentido e propósito de vida? Temos enxaqueca, gastrites, dermatites, problemas  respiratórios e intestinais, fibromialgia e buscamos no corpo ( exames médicos) a solução para todas essas doenças. Nos tornamos analfabetos emocionais e vamos vivendo sem nenhuma percepção de si mesmo, alienados e distantes dos nossos desejos. "Não falo, não sinto, não expresso o que penso". "Nem mesmo me conheço!" E assim não cuidamos de nós mesmos,  falta autoconhecimento, falta autoobservação, autocuidado! Não respeitamos o nosso tempo, nossos limites!  Surgem, então, angústia, ansiedade, depressão...um mal estar psíquico que incomoda, dói...e aí  culpamos o outro, a vida, por esse sofrimento.

Assim, pergunto, qual o nosso SER que habita nesse corpo? O que tenho feito para cuidar desse SER que adoece nosso corpo? 

Lembre-se: te aconselho a se cuidar mais, a se olhar com mais respeito e a não viver em função  daquilo que não te deixa feliz. O que sufoca a mente enfraquece a alma, adoece o corpo ( autor desconhecido).