Perguntado em 29/04/2021

Trauma psicológico: qual o tratamento?

M1 resposta

O que se entende por trauma psicológico diz respeito às consequências de experiências vividas que impossibilitaram de defesa psíquica diante de uma estimulação intensa (agressões físicas ou morais, constrangedoras, injustas, excessivas, de natureza social, sexual, familiar ou outras) para a qual o indivíduo não possui, no momento do acontecimento, condições de reagir. O excesso ou intensidade do estímulo intenso (qualquer que seja sua natureza) gera um alto grau de ansiedade, que paralisa ou diminui a reação de auto defesa. Em consequência, o ego mantém atual a estimulação, mesmo depois de passada a situação, mesmo depois de decorrido dias, meses, anos. O trauma psicológico pode ou não estar associado a agressão ou excesso de estimulação física. Traumas puramente psicológicos em geral estão ligados a fragilidades do próprio individuo, como uma interpretação equivocada da realidade. Mas, também, podem ocorrer em condições de doenças orgânicas, alterações fisiológicas ou neurológicas. Deve-se considerar, ainda, o papel das dificuldades afetivas ou perturbações mentais presentes no indivíduo que podem gerar fantasias de destruição e de ataques, mesmo na ausência de agressões físicas. Ambientes estressantes, conflitivos, superexigentes ou outros que sejam capaz de exceder o equilíbrio biopsicosocial são também fontes de traumas psicológicos. O assunto é vasto e, certamente, não se esgota em uma comunicação breve. Porém, de modo geral, a ideia do trauma se coloca na experiência intensa que gera angústia e se mantém atual mesmo depois de muito tempo.