Perguntado em 19/04/2021

O uso de remédios é uma decisão do Psicólogo ou do Psiquiatra? É preciso de um trabalho conjunto caso eu tenha acompanhamento pelos dois tipos de especialistas?

Katia Africani, Psicólogo(a), São Paulo
Vera Piovesan, Psicólogo(a), Maringá
Maria Betania Silva, Psicólogo(a), Recife
Felipe Rocha Prazeres, Psicólogo(a), Maceió
M16 respostas

Psiquiatra é o profissional graduado em medicina com especialização em psiquiatria. Identifica o transtorno mental que ocorre no paciente e faz a indicação de um tratamento geralmente à base de medicamentos ( dependendo do caso). O Psicologo, se interessa a tratar por meio da Terapia, os motivos, mecanismos de defesa, esquemas por meio da Terapia, identificando os motivos que estão levando o paciente a ter determinados comportamentos.

o uso de medicamento só pode ser indicado pelo psiquiatra, não cabe ao psicologo. O psicologo pode indicar a um psiquiatra caso seja necessário.

Em primeiro lugar é importante que você saiba que é o médico/ psiquiatra o mais indicado para passar um medicamento no caso de qualquer transtorno mental/emocional. Porém, um psicólogo pode encaminhar o seu paciente a um tratamento psiquiátrico e ambos são imprescindíveis para o tratamento do caso. Em todo caso, com ou sem medicação o tratamento psicológico para uma pessoa que está passando por qualquer tipo de sofrimento mental/emocional é recomendado e deve-se buscar por um psicólogo.

A prescrição de medicamentos é uma prerrogativa médica. Mas, a condução do acompanhamento profissional é uma responsabilidade de cada pessoa, que decide como fazê-lo, de acordo com o quadro que apresente.

Médicos psiquiatras costumam indicar remédios, alguns indicam a terapia sem o uso de remédio, depende muito do caso parceria é sempre bom mas, vai disponibilidade de cada profissional e a sua forma de trabalho!

Como alguns colegas ja explicaram quem receita remédios é o médico (especialista em medicina) e o psicólogo (especialista em comportamento humano) faz apenas a psicoterapia. Se faz extremamente necessário o acompanhamento psicoterápico,pois somente a medicação não trará as mudanças em suas questões emocionais.Quanto ao trabalho conjunto entre os profissionais torna o acompanhamento mais rico,mas nem sempre se faz necessário,apenas em casos mais específicos ou mais graves e isso também pode ser esclarecidos com os especialistas que o acompanham,além de que nem sempre ambos terão disponibilidade de tempo em suas agendas para esses contatos constantes entre eles.

Como alguns colegas ja explicaram quem receita remédios é o médico (especialista em medicina) e o psicólogo (especialista em comportamento humano) faz apenas a psicoterapia. Se faz extremamente necessário o acompanhamento psicoterápico,pois somente a medicação não trará as mudanças em suas questões emocionais.Quanto ao trabalho conjunto entre os profissionais torna o acompanhamento mais rico,mas nem sempre se faz necessário,apenas em casos mais específicos ou mais graves e isso também pode ser esclarecidos com os especialistas que o acompanham,além de que nem sempre ambos terão disponibilidade de tempo em suas agendas para esses contatos constantes entre eles.

Só o psiquiatra pode receitar medicação nessa situação em que você detalha, é sempre importante a interação paciente, psiquiatra e psicólogo e ou psicanalista. Em alguns casos específicos neurologistas entre outras especialidades médicas podem também receitar.

Olá! Sim, talvez seja necessário um acompanhamento em conjunto. O psicólogo pode auxiliar o paciente a se envolver por inteiro com o tratamento mas, só o psiquiatra pode medicar 🥰 www.psigiselerodrigues.com.br Disponibilidade para atendimento on line às quartas feiras

Não é atribuição do Psicóloga (o) ou Psicanalista a prescrição de remédios, cabe ao Médico Psiquiatra dentro dos chamados Psi, esse trabalho. Nenhuma terapêutica se sustenta em um trabalho realizado individualmente. O trabalho em Rede, multidisciplinar ou interdisciplinar sempre deve ser realizado, visando de forma prioritária o paciente/cliente como o maior beneficiado com o processo.

As doenças mentais como Depressão,Pânico,Ansiedade, Transtornos de Personalidades,Transtorno Bipolar, Esquizofrenia,etc. Requer uso de medicação e tem que ter o acompanhamento do psiquiatra que é preparado para diagnosticar e descobrir a medicação adequada para o seu tratamento.Também não tem mágica. O processo dos psicofármaco varia de pessoa para pessoa.Também precisa do apoio de outros profissionais para manter a estabilidade dos neurotransmissores que são onde a medicação vai atuar. O psicoterapeuta para se conhecer e prevenir as recaídas, o personal para aprender uma atividade física adequada para você, um nutricionista para sua reeducação alimentar.

O uso de medicação é exclusivo ao psiquiatra. Em muitos casos é importante fazer o acompanhamento conjunto com o psicólogo e com o psiquiatra.

O uso de medicamentos deve ser avaliada pelo profissional da área de psiquiatria,uma vez que está função não é responsabilidade do psicólogo. O psicologo ao identificar a possível necessidade deverá encaminhar o paciente/cliente para o profissional para que que seja verificada a necessidade ou não da medicalização. O medicamento é usado para tratar dos sinais e sintomas, e a psicoterapia irá trabalhar as questões decorrentes ao transtorno/ sofrimento emocional trabalhando para identificar as possíveis causas e dar continuidade no processo de psicoterapia.

Então, remédios são prescritos apenas por psiquiatras, o psicólogo não pode receitar remédio algum. Um trabalho em conjunto é sempre desejado nesses casos, até para fazer o acompanhamento da evolução do tratamento.

Olá Leonice! Em alguns casos, é necessário o uso de medicamentos, isso depende da situação, dos sintomas pelos quais o paciente está apresentando, o profissional que prescreve a medicação é o Psiquiatra, porém o Psicólogo se tiver esse paciente em psicoterapia e perceber sintomas excessivos, ele pode encaminhar o paciente a um Psiquiatra, para que o mesmo faça a avaliação e verifique se realmente há essa necessidade de medicação para então prescrevê-la. É importante lembrar que o paciente que toma alguma medicação, acompanhado por um médico psiquiatra, para um tratamento mais eficaz, é relevante que ele seja acompanhado também em psicoterapia por um psicólogo, ou seja, o trabalho em conjunto é importante entre Psiquiatra e Psicólogo nesses casos.

O tratamento medicamentoso deve ser prescrito por um psiquiatra, não cabe ao psicologo(a) esse aconselhamento. Em alguns casos, o ideal seria o trabalho conjunto entre a psiquiatria e a psicologia, porém sabemos que nem sempre isso acontece.