Pais assertivos, crianças felizes

Hoje o discurso é que os pais não fazem seus filhos felizes.

Entendo e concordo com isto, mais devemos tomar cuidado com á interpretação que é dada á este discurso. Realmente ninguém e responsável, pela felicidade do outro mais contribuímos para isto.

Os pais do passado eram firmes, estabeleciam uma educação rígida e autoritária, com a segurança do que estavam fazendo. Os pais de hoje se sentem confusos: quer manter uma relação menos autoritária com os filhos, mas são cobrados quanto ao ensino de limites e ao desenvolvimento de inúmeras habilidades nas crianças.

Como os pais tem o dever de cuidar dos seus filhos, contribuindo para que neste mundo injusto e cheio de preconceitos os nossos filhos possam estar preparados para enfrentar a vida de forma firme e honesta. Os pais são as primeiras, porém não são as únicas referências no mundo social da criança.

Como dizia Eduardo, filhos vivem de exemplos, partindo deste princípio, os pais são muito importantes ao passarem para as crianças sua forma de ação no mundo.

É importante que os pais se perguntem como estão agindo com suas relações, o que querem ensinar com seus atos para os filhos. O primeiro passo do processo envolve observação, na qual a criança aprenda a observar o comportamento das outras pessoas e seu próprio comportamento.

Buscando desenvolver o comportamento verbal da criança, perguntando e interessando pelo dia do seu filho, levando a relatar suas experiências de forma simples, desenvolvendo a capacidade da criança de descrever seu próprio comportamento, assim passa formular regras (descrever relações) de acordo com as experiências que tenha nas suas interações interpessoais.

Podemos então dizer que ensinamos nossos filhos a falar sobre o que sentem sobre o que desejam. Se os pais sabem fazer isso em suas próprias vidas, eles mesmos são bons modelos; se não o sabem, esta pode ser uma boa aprendizagem a se fazer com e pelas crianças.

Pais que permitem ou não a expressão das emoções, que são ou não consistentes em suas reações com referência aos comportamentos da criança, vão propiciar o desenvolvimento ou não de uma expressividade que permita a ela se colocar em seu ambiente com maior ou menor nível de efetividade.

Pais que “fazem tudo’' pela criança, podem impedir que ela desenvolva sua capacidade de agir independentemente e gerar crianças inseguras, não confiantes em suas potencialidades.

E crianças com maior dose de assertividade são mais felizes e tendem a ter mais sucesso em sua vida profissional, afetiva e social!

Então hoje a noite, quando você for colocar seu filho para dormir em uma cama quentinha e confortável, pergunte como ele está se sentindo e leia uma pequena história para ele pegar no sono. Tenho certeza quer ele ficará muito feliz!