Eu sou o meu maior problema Eu sou a minha maior solução

Quando pergunto aos meus pacientes quem é o seu maior problema, muitos se assustam quando digo que é ele mesmo, mas lembro de que também é a sua maior e única solução.

A boa notícia é que esse problema pode ser modificado e melhorado. É preciso reconhecer os nossos erros; é muito comum dizer que não temos culpa, que o problema é do outro e que a culpa é do mundo.

Nesse momento, precisamos refletir para compreender o que estamos fazendo de errado, porque tudo termina sempre da mesma forma. Lembre-se de que as mesmas ações geralmente produzem o mesmo resultado. Se existe algo que você não quer, é preciso agir de outra forma para mudar a situação.

Criamos muitas expectativas dos outros, queremos que o outro aja exatamente do jeito que a gente pensa ser correto, e muitas das vezes cobramos do outro aquilo que nem a gente da conta.

Não é bom esperar que o outro mude e nos dê um sorriso. É melhor se afastar por um momento, ir para algum lugar onde não possamos agredir ninguém e relaxar. Não podemos culpar o outro, as circunstâncias e nem a nossa má escolha.

Assumir a responsabilidade é o primeiro passo para deixar de culpar o mundo, o carma ou o universo pelos nossos problemas.

A sua forma de agir o define e pode ajudá-lo ou prejudicá-lo em sua vida. Entenda que as palavras, as ações ou as emoções mal utilizadas podem causar problemas com as outras pessoas.

Perceba sua forma de agir e de ver as coisas, dê um novo olhar a você e ao mundo, assim você estará aumentando a possibilidade de levar uma vida melhor e mais leve. Quando nos tornamos protagonistas das nossas vidas, passamos a nos assumir e a nos responsabilizar.

Para se libertar dessa sensação e se reconectar consigo mesma, será necessário fazer psicoterapia e investir no autoconhecimento. O cuidado com a saúde mental e emocional é essencial.

Procure um psicoterapeuta.